Jornadinha em por São Sebastião semeia literatura 

Atualizado: 5 de Out de 2019

Quando se assiste à apresentação de um autor na Jornadinha Literária, a gente imagina aqueles brotinhos de planta sendo regados com todo o cuidado. Porque muitos daqueles alunos que estão ali, de olhos atentos e semblantes espantados ou divertidos, são frutos dessa semeadura.

“Em função da idade dos participantes, a seleção de obras se concentra em álbuns ilustrados e livros de imagens, isto é, incluímos os livros sem texto; ou chamamos para a leitura de imagens acompanda de recriação, mesmo dos livros que já têm texto, algo como, ao mostrar a cena, indagar: ‘o que está acontecendo nesta história? Quem está aqui?’. Cada encontro, por sua vez, reúne um número mais concentrado de participantes. E os ilustradores têm um lugar de destaque”, explica João Bosco Bezerra Bonfim. O autor é organizador, ao lado de Marilda Bezerra, não só da Jornadinha, mas também da Jornada Literária, que este ano já esteve em Sobradinho e Ceilândia e no final de outubro estará no Gama, sempre realizada, em 2019, com termo de fomento firmado com a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal.

A Jornadinha reuniu na última semana de setembro 11 autores, entre escritores e ilustradores, no campus do Instituto Federal de Brasília, em São Sebastião. Lá, durante três dias, eles contaram histórias, usando diversas formas de linguagem, para cerca de quatro mil crianças da creche ao 5º ano da rede pública de ensino.

A Jornadinha conseguiu formar parceria com o ILB: o Instituto compartilhou o uso do espaço, e recebeu a contribuição de professores e alunos do Instituto, incluídos na programação. Os professores participaram de oficinas para formação de mediadores de leitura – elemento chave para que se crie o hábito da leitura nas escolas – e os alunos conversaram sobre livros e literatura com os escritores Roger Mello e Jefferson Assumpção. “Valeu muito a pena, pois possibilitou o atendimento à rede pública de educação de São Sebastião, bem como de nossos estudantes de ensino médio, estimulando novos leitores. Adicionalmente, possibilitou que os professores em formação nas licenciaturas em Pedagogia e de Letras-Português do IFB- São Sebastião fossem capacitados como mediadores de leitura”, comemorou Robson Caldas de Oliveira, Diretor-Geral do Campus São Sebastião do IFB.

Robson vai além e antecipa o fortalecimento dessa parceria. “Queremos formalizar a parceria com a Jornada Literária do DF, por meio de cooperação técnica, a fim de institucionalizar e permitir que outros campi do IFB possam estabelecer planos de trabalho com a Jornada”.

Andrea Kluge, professora aposentada da Secretaria de Educação do DF, assistiu à Jornadinha. “É preciso ressaltar a necessidade de formar professores mediadores de leitura, que é o que o Bosco e a Marilda fazem muitíssimo bem. A maioria dos professores conhece muito pouco da literatura infantil e juvenil.

Não por culpa deles, mas por uma formação inicial que não prioriza a literatura. A Jornadinha forma professores capazes de acessar obras literárias de qualidade e levá-las até os alunos. Isso amplia imensamente o repertório de ambos”, explica Kluge, com a autoridade de quem durante 15 anos (entre 2000 e 2014) ficou cedida ao Ministério da Educação acompanhando as avaliações das obras do Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE). “Ao lado disso, o contato com os autores após a leitura das obras contribui para que os textos sejam trabalhados com maior profundidade e permite que se crie uma ponte entre autor-texto-leitor”, acrescenta a professora.

© 2018. Associação Jornada Literária. Todos os Direitos Reservados. Criado por IDEIA Prática.