Marina Colasanti para os jovens da JL: “Sonhos são para ser sonhados”

Marina Colasanti tem 82 anos de idade e mais de 60 livros publicados em diversos gêneros literários. Poderia estar em casa, deitada sobre a glória que a literatura lhe concedeu de ser uma autora consagrada. Mas prefere falar de sonhos e trabalho para jovens de escolas públicas.


Marina Colasanti participou pela 1ª vez da JL Fotos Cícero Bezerra

Foi isso que Marina fez na Jornada Literária do DF, em Ceilândia, no Teatro Sesc Newton Rossi. Participando pela primeira vez do evento - realizado com termo de fomento firmado com a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal -, ela esteve frente a frente com uma plateia que foi para a conversa após ter lido Quando a primavera chegar, obra da autora lançada em 2017 pela Editora Global. A leitura prévia pelos alunos de um dos livros do escritor convidado para o bate-papo é uma das estratégias da Jornada Literária para alcançar seu objetivo: formar novos leitores.


E falando para esses novos leitores, Marina Colasanti falou também para possíveis novos escritores. Ela incentivou quem tem “o impulso inicial de escrever a continuar com um projeto de livro, até que se conclua”. Para ela, o livro possui várias funções, entre as quais a de divertir, mas deixou claro que eles são fundamentais também para o conhecimento religioso, psicológico, ou de qualquer área técnica ou científica.


A autora advertiu que para escrever, uma coisa é fundamental: ler e ler e ler. “Não há outro caminho”, enfatizou Marina. “Das experiências de leitura – associadas com os sentimentos e vivências – sim, é que nascem os livros”, explicou.


E dá para viver de escrever? Os alunos quiseram saber. Sim, ela respondeu, pois como jornalista que também é há mais de 50 anos, ela escreve crônicas e faz traduções, escrevendo todos os dias. “Não há milagres. Só muito trabalho”, deixou claro para os alunos.


Público quis saber: "Dá pra viver de escrever?"

Falou de sonhos e de projetos como duas coisas diferentes. “Projetos são realizáveis. Sonhos são para ser sonhados”, frisou, exortando os jovens a partirem para a concretização de seus objetivos.

© 2018. Associação Jornada Literária. Todos os Direitos Reservados. Criado por IDEIA Prática.